Arquivo da tag: Jornalismo

Laboratório vivencia prática de entrevista coletiva

Emília Ferraz: Diretora do programa Observatório da Imprensa.

Emília Ferraz: Diretora do  programa Observatório da Imprensa.

A jornalista Emília Ferraz, diretora do programa Observatório da Imprensa, fechou o semestre do Laboratório de Comunicação Crítica: técnica de linguagem jornalística aplicada, com a terceira simulação de entrevista coletiva. Despertou a curiosidade dos alunos ao contar casos do cotidiano de uma redação de tevê, dificuldades, aprendizagem e liberdade de criação. O Laboratório é ministrado pela pesquisadora Zilda Martins e faz parte das atividades do LECC.

 

 

 

 

 

 

 

 

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Representação árabe no Brasil desperta interesse

Imagem1

Pesquisador Guilherme Curi

A segunda simulação de coletiva apre-sentada aos alunos do ciclo básico de comunicação da ECO foi concedida pelo pesquisador, Guilherme Curi. Ele abordou o tema da representação árabe na mídia, motivando debate e questionamentos. A proposta do Laboratório de Comunicação Crítica: técnica de linguagem jornalística aplicada, mediado pela pesquisadora Zilda Martins, é motivar os alunos a viverem um ambiente de tensão, próprio das entrevistas coletivas.

Continuar lendo

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

LECC Pesquisa o Jornalismo dos países BRICS

A primeira parte do projeto começou em 2012 e terminará em 2016. A coordenadora do projeto no Brasil é a pesquisadora Raquel Paiva.

The project group in Moscow on 14 November 2012 meeting its member Professor Mikhail Fedotov, Chairman of Council of the President of the Russian Federation on Development of Civil Society and Human Rights.

The project group in Moscow on 14 November 2012 meeting its member Professor Mikhail Fedotov, Chairman of Council of the President of the Russian Federation on Development of Civil Society and Human Rights.

 

Mais informações: http://uta.fi/cmt/tutkimus/BRICS.html

Etiquetado , ,

“O passo a passo da monografia em Jornalismo”

A monografia, que deveria ser um momento de reflexão para o qual o aluno teoricamente foi preparado durante toda a graduação, na maior parte das vezes é o terror desses jovens que já estão quase se formando. Até agora, não existiam autores que tratassem especificamente de como fazer uma monografia em Jornalismo. Felizmente, essa lacuna está prestes a ser preenchida pelo livro O passo a passo da monografia em Jornalismo, de Nemézio Amaral Filho, que será lançado no dia 9 de agosto, às 18h30, na livraria do Palácio do Catete.

Baseado na experiência obtida como professor-orientador de monografias na Universidade Estácio de Sá, em seu livro, Nemézio explica, de forma simples e descontraída, o caminho para que a monografia não seja mais um bicho de sete cabeças e passe a ser uma ótima oportunidade para que o aluno mostre o seu potencial, dentro e fora de sua universidade.

Além de dicas para fazer uma boa monografia e explicação das principais metodologias de pesquisa em Jornalismo, o livro conta com o prefácio de Muniz Sodré e “orelha” de Cristiane Costa, ambos professores da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ).

Enquanto o livro não chega às livrarias, podemos ter uma prévia do que poderemos encontrar em O passo a passo da monografia em Jornalismo com esta breve entrevista com o autor.

LECC – Como nasceu a idéia de escrever O passo a passo da monografia em Jornalismo?

NEMÉZIO – Percebi em sala de aula que mesmo os melhores alunos tinham dificuldade em entender o que era um “objeto de investigação acadêmica”, uma “hipótese” ou um “problema”. Há um certo medo de enfrentar estes conceitos que parecem indecifráveis para muitos alunos. E os livros de metodologia na área são todos voltados para a pós-graduação, importantes, mas pouco objetivos para os alunos de graduação. O livro vem, por isso mesmo, com a proposta de desmistificar a pesquisa, de reduzir a tensão e de apresentar exemplos de como olhar teoricamente sobre um tema de investigação. Além disso, esta “tradução simplificadora” da pesquisa acadêmica pode ajudar, por outro lado, alunos de mestrado e doutorado.

LECC – Por que a monografia geralmente causa tanta ansiedade nos graduandos?

NEMÉZIO – É um momento de inflexão, o coroamento de anos de estudo. É preciso passar por esta etapa final para obter seu diploma para trabalhar no mercado, tentar concurso público, seguir a carreira acadêmica. O futuro do estudante depende deste trabalho no presente. Também há frequentemente uma pressão familiar. O livro que escrevi, resultado de cinco anos de orientação em sala de aula, tenta tranquilizar e nortear o estudante de Jornalismo neste momento delicado.

LECC – Qual a maior dificuldade dos alunos de Jornalismo durante a monografia?

NEMÉZIOA construção de objeto e problema de investigação. Por isso, estes tópicos têm atenção especial no livro.

LECC – Quais são os erros mais comuns que os graduandos cometem durante a produção da monografia?

NEMÉZIO – O gigantismo dos temas abordados, a falta de disciplina durante o período de redação e pesquisa para o trabalho, o descuido nas normas de redação de um texto acadêmico, a tentativa de pular etapas necessárias e confundir texto acadêmico com jornalístico. Mas, claro, nada é pior que as torpes e cada vez mais ineficazes tentativas de plágio. Felizmente, é uma minoria que envergonha a si própria desta maneira.

LECC – O que uma boa monografia pode trazer para o aluno?

NEMÉZIO – Pode funcionar como cartão de visita para o mercado e/ou para um futuro acadêmico. Além disso, se levada a sério em algo que efetivamente interesse ao aluno – e não tema escolhido apenas “porque a monografia tem que ser feito” – pode lhe dar algo para levar para a vida, por exemplo, a capacidade de superação.

LECC – Que dicas você dá para que a produção da monografia seja uma experiência positiva e não um “trauma”?

NEMÉZIO – Todas elas estão elencadas no Passo a passo da monografia em Jornalismo.

 

Sobre Nemézio Amaral Filho

 Nemézio Amarla FilhoGraduado em Jornalismo, Nemézio possui mestrado em Planejamento do Desenvolvimento pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará (NAEA-UFPA, 2002) e doutorado em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ, 2006). Atualmente é coordenador-estratégico do Laboratório de Estudos em Comunicação Comunitária (LECC) da ECO-UFRJ, professor da Universidade Estácio de Sá, jornalista concursado do Ministério da Saúde e consultor ad hoc do Terceiro Setor.

Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Jornalismo, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente, negritude, comunidade e crítica da mídia.

Etiquetado , ,
%d blogueiros gostam disto: