Disponível, em livro, as apresentações do Seminário sobre Educação Midiática, do CCS-Brasília

O Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional acaba de disponibilizar a transcrição do seminário sobre Educação Midiática e Informacional no Brasil – Um Olhar a Partir da Perspectiva da Unesco, ocorrido em Brasília, no dia 7 de novembro de 2016.

Na introdução do livreto, o Presidente do CCS, Dr. Miguel Cançado, explica que o evento havia sido proposto pelo Prof. Ismar de Oliveira Soares, membro do CCS e Presidente da ABPEducom, que coordenou o evento.

O seminário contou como expositores, com a presença daProfª Raquel Paiva, da UFRJ; da aluna Clarice Villari (14 anos), do Colégio Dante Alighieri; da aluna Maria Eduarda Silva de Oliveira(13 anos), da EMEF Casa Blanca de São Paulo; da Profª Sandra Zita Silva Tiné, do MEC, e do Senhor Alton Grizzle, articulador do Programa GAPMIL da UNESCO.

 Conteúdo na integra em: http://www.abpeducom.org.br/2016/12/disponivel-em-livro-as-apresentacoes-do.html#more

 

Conselho de Comunicação debaterá crise no setor e educação midiática

14937418_1476215732394687_7936549442931675978_n.jpg

Na segunda parte da reunião do Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional, nesta segunda-feira (12), foram definidos nomes de participantes e formato do Seminário “Educação Midiática e Informacional no Brasil”, a partir de proposta do conselheiro Ismar de Oliveira Soares.

Está confirmada a presença do coordenador da área de mídia e informação da Unesco, Alton Grizzle. Também devem ser convidados para o seminário, que se realizará no dia 7 de novembro, a professora Raquel Paiva, da Escola de Comunicação Social da UFRJ, e dois adolescentes que participam de projeto colaborativo sobre mídia em escolas privadas e na periferia de São Paulo.

O conselheiro Marcelo Rech ressaltou a necessidade de debate sobre educação para a mídia focada nas redes sociais. Ele demonstrou preocupação com a falta de “filtro” ou intermediação de profissionais de comunicação nos conteúdos que incentivariam ódio, preconceitos e até violência.

Crise

Os conselheiros também aprovaram a realização de seminário no próximo dia 10 de outubro, para tratar sobre os efeitos da crise econômica sobre o setor da Comunicação Social. A proposta foi elaborada pela Comissão de Relatoria formada por Marcelo Rech, Nascimento Silva, Marcelo Cordeiro e Davi Emerich.

O conselheiro Nascimento Silva declarou-se preocupado com o desemprego e a eliminação de funções no setor de comunicação, especialmente entre radialistas. O debate deverá ser ampliado incluindo temas como a crise tecnológica e de conteúdos, por proposta dos conselheiros Celso Augusto Schröeder e Maria José Braga.

— O Brasil está sendo colonizado do ponto de vista da tecnologia digital. A tecnologia vai precisar de regulação — defendeu a conselheira.

O vice-presidente do Conselho, Ronaldo Lemos, também destacou a importância da regulamentação multissetorial da internet envolvendo os setores privado, governamental, a comunidade científica e a sociedade civil.

Também deverá ser tema de debates a concorrência com as empresas estrangeiras de tecnologia digital que, conforme Marcelo Rech, faturam “uma fábula de publicidade sem recolher impostos”. Mesmo aspecto levantado pelos conselheiros José Francisco de Araújo Lima, Marcelo Cordeiro e Roberto Franco.

Nesse sentido, Walter Vieira Ceneviva lembrou que Google e Facebook faturam no Brasil mais do que a soma de todas as televisões e todas as editoras.

— É importante trazer convidados que tragam fatos e dados, não opinião formada. Para onde vão os postos de trabalho? (…) Quais as perspectivas? Para onde vai o dinheiro da publicidade? E para onde vai o imposto? — questionou Ceneviva.

Davi Emerich sugeriu um levantamento dos projetos de lei que tramitam na Câmara e no Senado e que tratam diretamente do tema em relação a investimentos e tecnologia, por exemplo. O conselheiro propôs ainda que sejam discutidas alternativas ao atual modelo de comunicação.

Projetos

Outros itens de deliberação na pauta foram adiados para a próxima reunião do conselho. Tratam-se de relatórios sobre dois projetos de lei: um que trata de bloqueio de sites e aplicativos, e outro (PL 4.451/2008) que institui o Código Brasileiro de Telecomunicações para estabelecer normas de julgamento das licitações para outorga de concessões e permissões de serviços de radiodifusão

Fonte: http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/09/12/conselho-de-comunicacao-debatera-crise-no-setor-e-educacao-midiatica

Pesquisadora do LECC fala sobre o mundo rural

image1Os alunos do Curso de Comunicação Crítica do primeiro semestre de 2016 tiveram a oportunidade de conhecer o trabalho jornalístico em diferentes versões. Foram convidados três profissionais para simular coletiva de imprensa. A primeira entrevista teve como foco o jornalismo comunitário, a segunda, o mercado de trabalho. Já a terceira trouxe a pesquisa acadêmica, com a doutoranda Patrícia da Veiga, falando sobre o mundo rural no Rio de Janeiro. O Laboratório de Comunicação Critica é uma atividade do LECC – Laboratório de Estudos em Comunicação Comunitária e é ministrado pela professora Zilda Martins.

  Continuar lendo

Monopólio impõe linha editorial única como verdade

Segunda simulação de entrevista coletiva do Laboratório de Comunicação Crítica traz o jornalista e radialista Jota Carlos com sua larga experiência de cerca de 40 anos de profissão. Uma das falas mais contundentes do convidado foi a crítica ao monopólio dos meios de comunicação, que reduz a linha editorial dos jornais ao pensamento único, voltado para o mercado. O Laboratório de Comunicação Crítica é uma atividade do LECC, ministrado pela professora Zilda Martins, e tem por objetivo aproximar os alunos da realidade da profissão de jornalista, nas vertentes comunicação comunitária, mercado e pesquisa.

image1 (1)

Jota Carlos – Coletiva de imprensa

Continuar lendo

%d blogueiros gostam disto: