O Brasil perde Carlos Nelson Coutinho

por M. Gabbay

Perdemos nesta quinta-feira, 20 de setembro de 2012, o cientistra político baiano Carlos Nelson Coutinho, morto em decorrência de um câncer.

Professor da Escola de Serviço Social da UFRJ, Carlos Nelson foi o principal divulgador da teoria política do italiano Antonio Gramsci no Brasil. Nascido em Itabuna, interior da Bahia, o professor de 69 anos de idade acabara de receber emerência pela UFRJ.

Militante do PCB, Carlos Nelson Coutinho se formou em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia em 1965, e viveu em exílio na Itália durante a década de 1970.  No final da década de 1990, Coutinho traduziu e organizou a edição brasileira dos Cadernos do Cárcere de Antonio Gramsci, momento que favoreceu a ampla difusão da visão do materialismo histórico sobre a cultura no Brasil. O livro “Gramsci, um estudo sobre seu pensamento político”, publicado pela primeira vez em 1999 pela Editora Civilização Brasileira, acabou se tornhando uma espécie de guia gramsciano para estudantes e militantes.

Sua desaparição deixa uma grande lacuna na vida universitária brasileira. Em vários momentos, o Laboratório de Estudos em Comunicação Comunitária (LECC) empreendeu leituras coletivas dos textos de Coutinho, contando inclusive com sua presença na mesa de nossa sala na ECO/UFRJ em 2008.

Após velório no campus da UFRJ da Praia Vermelha, o corpo do professor será cremado no Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: