NOTA DA DIREÇÃO DA ECO-UFRJ: em 4/03, não haverá aulas, para a graduação, dentro do palácio

Recado do ECOpress, em 3 de abril

Tivemos,  nesta sexta-feira a tarde, uma reunião com o Reitor da UFRJ e todos os Diretores de Unidades abrigadas no Palácio Universitário e fomos informados que o incêndio destruiu a tubulação da caixa d’água central de 30 mil litros que abastece o Palácio.

O Prédio esteve sem água toda a sexta-feira e com seus banheiros interditados. Luz e energia foram reestabelecidas normalmente.

A Administração Central solicitou as Unidades manter na segunda-feira apenas as atividades administrativas, defesas de tese, reuniões, aulas na Pós-Graduação (que envolvem pequenas turmas) para evitar um ambiente insalubre.

Estão sendo providenciados a instalação de banheiros químicos para a terça-feira, dia 05/04 em vários pontos do Campus e há uma grande preocupação e esforço da prefeitura e Reitoria em reestabelecer o mais rápido possível a normalidade e as aulas no Palácio Universitário.

A indicação da Reitoria, com a qual estamos de acordo,  é evitar as aulas nesta segunda-feira no Palácio (os professores e alunos que dão aulas nesta segunda já foram avisados pelo prof. Mário Feijó).

Até o final da segunda haverá a instalação dos banheiros químicos. Na terça voltaremos a funcionar com 100% das nossas atividades.

COMO A ECO FUNCIONARÁ NESTA SEGUNDA

Aulas normais na  Pós-Graduação, por serem uma ou duas turmas e reduzido número de alunos

Aulas normais na CPM que seguem normalmente desde quarta-feira

Atividades administrativas normais nesta-segunda

Por questões de segurança (ver NOTA da Reitoria) “os estacionamentos em torno do Palácio estarão interditados (estacionamentos da FUJB, Fórum e os que se situam imediatamente atrás do Palácio)”.

Contamos com a compreensão de todos e aguardamos a normalização das atividades na nossa Escola e em todo o Palácio Universitário.

SEGUE NOTA DA REITORIA PUBLICADA ESTE DOMINGO DETALHANDO A SITUAÇÃO DA PRAIA VERMELHA PÔS INCÊNDIO.

 

Cordialmente, Ivana Bentes/ Direção da ECO

 

NOTA DA REITORIA DA UFRJ

Domingo, 3 de abril de 2011

À COMUNIDADE ACADÊMICA DA UFRJ

AOS USUÁRIOS DO PALÁCIO DA PRAIA VERMELHA

Em virtude do acidente que consumiu a Capela São Pedro de Alcântara na tarde de segunda-feira, dia 28 de março, o Campus da Praia Vermelha teve seu funcionamento comprometido ao longo de toda a semana. Em conseqüência, as aulas nas unidades que funcionam no Palácio Universitário foram suspensas, tendo sido estabelecida inicialmente a data de 4 de abril, segunda-feira, para a reabertura do Palácio.

A intensidade do incêndio pode ser constatada pelo fato de que ainda no sábado, dia 2 de abril, os bombeiros tiveram de comparecer ao local para nova intervenção, uma vez que uma coluna de fumaça havia-se formado, a indicar a possível existência de um foco de incêndio.

A interdição completa do Palácio foi determinada pela Defesa Civil, desde o primeiro momento e até que fossem verificadas as condições do prédio. O laudo da Defesa Civil veio à luz na quarta-feira, dia 30 de março, autorizando o acesso às duas alas laterais do Palácio e mantendo a interdição de toda a ala central, em torno da Capela, para os necessários trabalhos de rescaldo pelo Corpo de Bombeiros. Para cumprimento dessa determinação, foi estabelecido um perímetro de segurança, do portão principal da Avenida Pasteur até o final da piscina. Os dois corredores laterais ao longo da Capela foram considerados áreas de circulação restrita e controlada, para que fossem realizados os trabalhos de recuperação de arquivos e materiais, em sua maioria inundados pela água.

A Capela São Pedro de Alcântara, consumida pelo fogo, ainda fumegava na quinta feira, e nela nem os bombeiros podiam circular com segurança, pois seu piso, suportando todo o peso de seu teto e telhado, apresentava risco de colapso e desabamento.

Com a liberação da Defesa Civil, foi possível restabelecer os circuitos elétricos na manhã do dia 31 de março, quinta-feira. Restava ainda colocar em funcionamento a instalação hidráulica, que tivera seu ramal principal de distribuição calcinado pelo fogo.

Verificadas a cisterna e a caixa d’água principal, localizada logo abaixo do telhado da Capela, iniciaram-se os trabalhos de rescaldo e limpeza para verificação de sua estabilidade estrutural; vale lembrar que a caixa d’água principal suporta 32 toneladas de água. O bombeamento de água para realização do teste hidrostático foi iniciado, para que se pudesse verificar a estanqueidade do reservatório,  programando-se a limpeza da cisterna para o final de semana, com vistas ao restabelecimento do funcionamento pleno na segunda-feira, data aprazada.

No entanto, na manhã do dia 1 de abril, sexta-feira, verificou-se a existência de uma fenda no fundo da caixa d’água e uma trinca na sua viga de suporte, provavelmente devido ao calor das chamas. Tais fatos — que poderiam causar a ruptura e colapso estrutural da caixa d’água, correndo o risco de carrear o restante das paredes laterais da capela com o peso da coluna d’água nelas apoiada — mostravam a inviabilidade tanto de sua recuperação quanto da utilização das instalações hidráulicas em seu conjunto. Com isso, todos os trabalhos de rescaldo de material aproveitável, esvaziamento dos corredores, limpeza da caixa d’água e substituição da tubulação calcinada foram suspensos, e, por medida de segurança, a ala central do prédio foi evacuada e interditada à circulação de qualquer pessoa.

Nesse momento, com as medidas de segurança necessárias tomadas e o trabalho do Corpo de Bombeiros realizado, podemos estabelecer novo cronograma para a retomada das atividades acadêmicas no Palácio da Praia Vermelha.

Com exceção da ala central (Capela e seu entorno) que permanecerão interditadas, as demais alas onde se concentram as atividades acadêmicas e administrativas das unidades sediadas no Palácio e dos órgãos da administração central da Universidade, voltarão a ser abertas na segunda-feira, dia 4 de abril, para que o pessoal administrativo e docente possa entrar e preparar a retomada das aulas, que deverá ocorrer na terça-feira, dia 5 de abril.

Como continuaremos sem água nos próximos dias, para permitir o funcionamento a partir dessa data, estarão sendo instalados containeres hidráulicos em local próximo possível às entradas do Palácio e junto às redes hidrossanitárias existentes em seu entorno. Sabemos do transtorno que isso significa, mas contamos com o apoio de estudantes, servidores técnico-administrativos e docentes das unidades próximas, conscientes e solidários que estão no esforço de reconstrução das partes do Palácio destruídas pelo incêndio.

A volta à normalidade, em padrões semelhantes aos existentes até o início da tragédia que nos atingiu, dar-se-á com a construção de um castelo d’água,  a ser erguido nos fundos do Palácio, com a supervisão e acompanhamento do IPHAN, o que permitirá o fornecimento de água para o Palácio. O prazo para isso será de 30 a 60 dias — período em que também serão revistas e higienizadas as instalações hidráulicas do Palácio, para que possam voltar a funcionar com segurança.

Outras medidas já determinadas são a realização, pelo Programa de Engenharia Civil da COPPE, de uma avaliação estrutural de toda a área afeta pelo incêndio e a contratação emergencial de empresa para execução de uma sobrecobertura em toda a área afetada, a fim de não expor a parte da edificação sem telhado e garantir a segurança estrutural na execução da restauração do telhado e da Capela consumido pelo fogo.

O desafio que se coloca para a UFRJ não se esgota, no entanto, no retorno à normalidade tal como existia, nem mesmo na reconstrução e restauração do telhado e da Capela. Para isso, inclusive, já podemos afirmar que a solidariedade da população, da sociedade e das autoridades públicas — Prefeitura, Governo do Estado, Governo Federal, empresas e bancos públicos — já nos garante os recursos necessários,

A lição a retirar desse triste episódio consiste em realizar um esforço para a restauração completa e integral do Palácio Universitário, permitindo que sejam recuperada a dignidade da construção imperial e criadas condições para que as atividades que ali se desenvolvam despertem o orgulho de toda nossa comunidade. A UFRJ está convocando a sociedade para que juntos possamos atingir esse objetivo.

Contamos com a compreensão de todos para enfrentar esse desafio e vencê-lo. A história da Universidade , que já superou obstáculos maiores em seus 90 anos, é a garantia firme de que o conseguiremos.

 

Saudações universitárias.

Aloisio Teixeira

Reitor

 

COMPLEMENTO: Depois que escrevi a nota e a enviei para divulgação, um novo foco de incêndio surgiu hoje (domingo) no Auditório Anísio Teixeira, e os bombeiros foram mais uma vez chamados a intervir. O cronograma estabelecido está mantido, mas os estacionamentos em torno do Palácio estarão interditados (estacionamentos da FUJB, Fórum e os que se situam imediatamente atrás do Palácio).

Saudações, Aloísio Teixeira.

Anúncios
Etiquetado , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: